Tuesday, October 07, 2008

Nevosa

ao fundo a Fonte Fria
Pico da Nevosa visto do Sul

Ontem voltei a subir ao Pico da Nevosa. Foi a terceira vez que lá fui e pela primeira vez subi ao topo pelo Sul. Na primeira preferi não subir, a aventura pareceu-me demasiado arriscada. Fiquei, com a maioria do grupo que me acompanhava, a ver as subidas/escalada dos outros. No final ainda houve uma pequena troca de argumentos por aquilo que parecia ser um temeridade. Na segunda subimos pelo Norte e descobri então que havia um acesso fácil. Desta vez, ao seguir os companheiros mais destemidos, acabei por arrastar comigo um pequeno grupo. Não é muito complicada, mas numa passagem tive algum receio. Por mim e pelos companheiros que involuntariamente arrastei. É nestas alturas que percebo melhor os limites a que me impus na montanha. Ainda que perceba o prazer do "risco", ainda que goste da adrenalina que as condições de "stress" provocam, prefiro ir por onde me levam as minhas pernas. É por isso que modalidades de montanha não me atraem da mesma forma. Comecei tarde e há viagens para as quais já não posso/devo comprar o bilhete. Lá em cima o deslumbramento de sempre.

Mais tarde, num dos inúmeros prados, uma companheira de montanha, guia de serviço, desafiou-nos a uns exercícios de Yoga (não sei se com ou sem acento - já me explicaram que é muito diferente, ainda que não tenha percebido em quê - mas para o caso não é importante). Foram apenas curtos exercícios de respiração, mas souberam muito bem. A massagem também ajudou.

Os momentos mais altos foram, no entanto, o avistamento de fauna normalmente mais esquiva. Ainda que mantivessem as distâncias seguras, por momentos senti-me num episódio da BBC Vida Selvagem.

o grupo a relaxar (foto da White Angel)

6 comments:

White Angel said...

Louro,

Existe de facto uma diferença entre o Yôga e o Ioga... mas neste caso o que realmente importa são as tecnicas que vocês experimentaram e sentiram os efeitos...

Adorei como sempre a vossa companhia quanto ao Alto de Palma, Fojo de Alcantara mais a norte/este as Fragas de Brazalite e da Espinheira ou Fonte Fria, eu levo te la...:)

Abraço Montanheiro

Anonymous said...

Presumo que o que se vê ao fundo na 1ª FOTO são os Cornos de Candela.
(ou então são todos parecidos...hehehe)


medronho

joca said...

é mesmo a Fonte Fria, a foto pode enganar ;)

Joana said...

Gostei muito desta caminhada! A paisagem era magnífica! Adorei a sessão de ioga e a massagem com óleo relaxante. A sensação de relaxamento no meio da mãe natureza foi fenomenal!! Espero repetir!

Pedro Caldas said...

Antes de mais parabéns pelo blog...
Desde à uns tempos que tenho lido os seus posts e todos ele despertam em mim uma enorme vontade de "quero fazer isto também"...
A minha paixão sempre foi a natureza, mais propriamente os animais.
Tenho 20 anos e sou da Póvoa de Varzim. Todos os anos, nas férias dedico um tempo ao Geres e à Serra da Estrela. Sou daqueles que me levanta cedo e regressa tarde, aventureiro e destemido... Graças a isso já tive encontros fantásticos com animais (desde pegar numa raposa ao colo, a ser atacado por um açor) .
Mas apesar de tudo considero-me um pouco "desaproveitador".. acho que esse facto deve-se um pouco por não ter um amigo, ou amigos que me acompanhem nestas aventuras... Quero sair, desbravar mato, descobrir animais...
Fiquei muito curioso relativamente à sua vida e gostava de saber um pouco mais sobre como poder também participar um dia nas suas aventuras...
Cumprimentos Pedro Caldas

joca said...

Viva Pedro Caldas,

A maior parte das minhas caminhadas são com o UPB(http://umpardebotas.blogs.sapo.pt/). Passe pelo blogue e comece a participar nas caminhadas. Há para todas as dificuldades. Eu por razões pessoais tenho andado um pouco parado, mas é por lá que me pode encontrar. Grande parte do UPB é de Vila do Conde.