Tuesday, February 26, 2008

Finalmente o Castelo de Bouro

acesso ao castelo perfeitamente delimitado pela queimada

vestígios de fundação ?

pedras soltas, vestígios de muro?

No último Domingo penso ter finalmente encontrado alguns vestígios do Castelo de Bouro. Já não tinha dúvidas sobre a sua localização, como já tinha escrito num outro post. Faltava-me era encontrar as evidências no local. Claro que nas minhas certezas há um certo grau de fé. Não sou arqueólogo e na minha convicção de as ter encontrado há muita vontade de acreditar.

Aos meus companheiros de caminhada, desconfiados das explicações sobre o castelo, recordei ter estado sentado naquelas fragas a roer uma maçã com as mesmas dúvidas. Não é fácil situar ali um castelo. E foram essas dúvidas que mais tarde me fizeram situar o castelo no Piorneiro, convencido que o Castro e Castelo seriam a mesma coisa. A imagem que temos de um castelo não se adequa ao local. Primeiro temos que desconstruir essa imagem e depois imaginar o castelo roqueiro que teria existido ali.

Mas quais foram as evidências que encontrei? As fundações do que me parece ser um pequeno muro, ou de uma construção, e umas pedras soltas (restos de um pequeno muro?). Como posso afirmar que são vestígios do castelo? Não posso, mas posso e quero acreditar. Sei no entanto que foram encontrados no local vestígios suficientes para localizar ali o castelo, confirmando as fontes bibliográficas. Procurei também uns entalhes na rocha que me disseram existir, mas não os encontrei. Em Aboim da Nobrega é muito mais fácil situar o castelo. Lá as fundações são perfeitamente visíveis nos entalhes na rocha. É uma pena que o local não tenha qualquer informação. Como a maioria das pessoas que fazem o trilho nunca conseguem identificar o local, acabam com uma sensação que perderam alguma coisa. Seria um bom complemento para mais bonito PR marcado pela CM Terras de Bouro.

Propositadamente deixei o castro do Piorneiro para futuras explorações. Quero lá ir com mais calma. Tenho do local maiores evidências. Nomeadamente a gravura e descrição existente nas Memórias Paroquiais de 1758. Tenho na ideia repetir a exploração que o abade José Coelho da Silva descreve em 1758, embora não me apeteça carregar com a escada manual pela qual "se pode e com muito trabalho subir". Quero pelo menos identificar a "Lage Pinta do Castro".

Alguns extratos do que li sobre o Castelo:

"Tem esta serra muintos penedos e grandes o quoal chamam o Castello e assim se chama a dita serra e no dito penhasco no cimo delle faz um caminho à via aprazivel das partes penedos altos quazi semelhante a outro penhasco que chamam do Castro do lemites da freguezia de Santiago de Chamoim e só difere em nam ter tantos penedos e também nam ter cobertura por cima. Em hum e outro se acham muitos tejolos artificialmente feitos por naçoens barbaras antiguamente e duros como pedras."

«Memórias Paraquiais de 1758 - Covide» in Memórias e Imagens de Terras de Bouro Antigo Edição CM Terras de , 2001



"Basta a análise das freguesias de Covide e da Cravalheira para logo concluir que o Castelo deveria situar-se próximo das duas povoações desses nomes. Mas, entre ambas, de qual estaria êle mais perto? Nenhuma dúvida temos que de Covide, e pelos seguintes motivos:
1º É na acta de Covide que se faz referência ao serviço de vela, por parte de determinadas famílias da freguesia.

2º É, também, junto a Covide, que passa a Estrada da Geira, correndo em estreita cumeada entre profundos vales de freita, a leste e da Carvalheira, a oeste.

3º E, por último, é ainda cerca de Covide que o terreno, subindo rapidamente para o cabeço do Piorneiro (cota 992), oferece em seus esporões avançados o melhor sítio para defesa da Estrada da Geira (...).

Costa Veiga - «O Julgado de Bouro, a Fronteira da Portela do Homem e o Castelo de Bouro em documentos mediavais» in Terras de Bouro. O Homem e a Serra, Câmara Municipal de Terras deBouro, nº2, 1992

1 comment:

Vieira said...

Gostei muito do que li neste site, em especial, da forma como vêem o nosso Minho e convido-vos a, virtualmente ou não, visitar novamente a Natureza (também turística) de Aboim da Nóbrega:
http://aboimdanobrega.blogspot.com/ http://formiguinhademarco.blogspot.com/
http://br.youtube.com/taveiras

Saudações bloguistas,
Vieira